quinta-feira, 25 de abril de 2013

Somos loucos e amamo-nos

Saio do trabalho sempre cansada, irritada, stressada, amuada, triste e de muito mau humor.
Sou uma pessoa frustrada, não gosto do que faço, pronto. E as pessoas, muitas vezes não ajudam...
E vocês pensam: se não gostas do que fazes, porquê não mudas? Fácil falar né? Há quem não arranje trabalho sequer; mudar de trabalho (e sublinho trabalho porque já não existem empregos, isso é apenas para os "tachados") seria milagre! Mas algum dia ha-de acontecer, tenho fé!

Continuando...
Quando saio tarde o D. vai sempre buscar-me. Ele é o meu comprimido. Assim que entramos no carro e paramos no primeiro semáforo desatamos a gritar. Berrar em plenos pulmões. Dizemos asneiras, dizemos que somos tolos, que precisamos de tomar a pastilha, mas tudo em berros e de vidros fechados. Ele e as nossas parvoíces são o meu antidoto. Parece que depois daqueles berros o meu dia começa ali, às 20h30 da noite.




P.S.: não tenho sido a melhor. Desculpa. Temos de gritar mais ainda *



4 comentários:

a Gaja disse...

Acho que andamos todos um pouco assim, trabalhos nem os há, quanto mais empregos...isso também eu quero!!! Se isso vos faz desanuviar do dia, força continuem :)

Mia disse...

Tão lindo o vosso amor :)

Cláudia G disse...

As vezes, para libertar a frustração faço isso também com os meus melhores amigos dentro do carro! Sabe tão beeeeeem!
Ah, e é complicado fazermos o que amamos mas nunca podemos desistir :)

Pestinha disse...

Nada como encontrar outro louco que sofra dos mesmos problemas que nós... É bonito a cumplicidade que vocês partilham um com o outro!

Felicidades :-p

ehehhehe

Kiss**