quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

São apenas sonhos

Não mando nos meus sonhos.
Tento não me prender a um passado, porque está mais que provado que ele não vai voltar.

Sonho muitas vezes com ele, se não quase todos os dias. Na maior parte das vezes sonho que ele me faz mal, que me magoa com palavras e com actos.
Mas esta noite foi diferente. Sonhei que fazíamos amor. Parecia tão real cada beijo, cada toque, cada sussurro com juras que tantas vezes me fez ao ouvido. Estávamos na minha casa, no meu antigo quarto, um que ele não conheceu. Estávamos felizes. Ele, mais que eu, tinha uma cara de felicidade, de saudade, de conforto, de pessoa que ama... Caio em mim e apercebo-me que já mal me lembro do seu rosto e dói tanto isso. 

Quando acordei, aninhada, não me mexi. Tive medo de o acordar. Só é pena, ele lá não estar. Foi apenas um sonho, que me trouxe uma sensação de conforto ao coração e uma saudade ainda maior. Ele era Para Sempre e tantas vezes o dissemos.




3 comentários:

SF disse...

Cat chorei ao ler isto, ja passei por tanto disto. Deus :(

Ska disse...

Hm, sendo troll e esses negócios todos (é para isso que me pagam, afinal de contas), diria que já és um bocado grandinha para este tipo de sonhos :P

Mas ao menos as mulheres têm vantagens relativamente aos homens, um gajo tendo um sonho desses, ao acordar passa por momentos mais embaraçosos.

Cat disse...

@ SF, obrigada :'(

@Ska, é verdade já sou grandota, mas sonhos são sonhos. No entanto com muita pena minha não houve pormenores tórridos. Foi tudo muito softcore vivido na primeira pessoa.

E sim, nós somos cá umas sortudas nesse campo. Olarilas! :p