quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Reacções psicológicas à doença terminal que é o teu relacionamento

Tu, querido diário, não sabes que existem reacções psicológicas à doença terminal porque és um simples espaço, neste caso virtual, mas também já o foste em papel, bem antes do gato te mandar umas trincas; mas a verdade é que este tipo de atitudes perante uma doença existem.

Vou falar-te sobre isso hoje. E vamos falar sobre uma doença terminal específica, que é o relacionamento.

Os doentes terminais de relacionamento adquirem um comportamento semelhante ao chamado na gíria "caminho para a morte". Ficam meios abananados com a situação e acabam por afectar familiares e amigos.
Ao longo do tal caminho para a morte, os doentes vão passando por estágios com duração variável que podem acontecer simultâneamente ou intervaladamente e até retroceder.

São os estágios:

  • A Negação: o primeiro contacto com a noticia do final do relacionamento depende em muito da maneira como a noticia é dada. O choque inicial leva a que não acredites em patavina do que o outro ser (chamado cabrão) te está a dizer e apenas penses "isto é para os apanhados".
  • A Raiva: à medida que a realidade vai assentando, o doente (cornudo ou não) vai experimentar novos sentimentos com os quais não saberá lidar, tornando-se assim uma pessoa hostil e agressiva. O doente inveja os pombinhos que o rodeiam pois todos os seus projectos foram destruídos.
  • A Negociação: nesta fase o doente quer alcançar o (praticamente) impossível através da negociação com figuras omnipresentes e de supremacia para que estas consigam trazer tudo de volta ao normal. Observa-se uma mudança de comportamento do doente, tornando-se mais resignado com fim a receber a graça pedida.
  • A Depressão: fase em que se compreende a perda iminente. A dor interior e psíquica é intensa, surgem sentimentos de culpa e insegurança, tristeza e grandes fluxos de nervosismo, ansiedade e descarga intestinal.
  • A Aceitação: representa uma fase de isolamento e quietude, muito choro, diminuição de interesse pela "Pessoa". Findar de uma luta que agora sabemos que não vale de nada porque o que um não quer dois não fazem.

(Isto é um post, aos olhos de muitos, de muito mau gosto. Mas o meu sarcasmo tem andado afinado e não consigo escrever, nem dizer nada, com seriedade)


4 comentários:

nikki disse...

Simplesmente... Fantástico!
Adorei o post e a descrição está fantástica, gostei particularmente do : "Findar de uma luta que agora sabemos que não vale de nada porque o que um não quer dois não fazem."
Força ;o)
bjinhos

Petra disse...

De mau gosto??? então mas tem tanto de verdadeiro.

ladybug disse...

Acho que a raiva vem antes da aceitação... antes de aceitarmos, sentimos raiva pela pessoa em questão, até pq é bem mais fácil esquecer desta forma. Penso eu de que.

Cat disse...

Ladybug se reparares bem, raiva vem sim antes da aceitação. E só assim faz sentido :)