segunda-feira, 30 de abril de 2012

Eu devia meter a insegurança por um sitio, que eu cá sei, acima...

Ora... eu fui convidada para sair. Um rapaz que conheço à uns anos, que não vejo com muita frequência, mas com quem falo quase todos os dias.
Quase um segundo encontro ás cegas.
Ele é giro, bem disposto, inteligente e mostra-se disponível...tudo o que se precisa. Óptimo.

Mas recusei. Simplesmente recusei, porque a insegurança é uma coisa que me atinge forte. E porque não conheço lá ninguém, e porque nunca fui para aqueles lados, e vou perder-me de carro, e ele vai ter lá amigos que vão mandar bocas ou se vão rir de mim, porque vou tropeçar e cair, porque me vou babar, porque o meu cabelo vai estar uma desgraça, porque me vai achar gorda, porque vou mandar um pontapé na gramática... e depois não posso simplesmente sair. Vou ter de me submeter.

Ok não vou. Prefiro ficar em casa sozinha. E pior: tentei explicar-lhe isto. Ele deve ter achado que sou louca.




Eu estou estragada.
E a culpa é Dele, do outro, que me deixou assim, quase sem reparação.
Quero o meu antigo eu, o meu eu determinado e desembaraçado.

Eu sei que estas reacções são parvas, eu consigo admitir e entender que sim, mas não consigo lutar contra elas.
No fim, só me apetece chorar, porque esta não sou eu.



7 comentários:

N. disse...

A label não engana: és parva.

_Jo_ disse...

Como eu te entendo miúda!!!!

eu sou assim disse...

"Eu estou estragada.
E a culpa é Dele"

Isto é a forma de te defenderes. A culpa já não é dele. Agora já é só tua. Faz-te à estrada rapariga!!!

1 disse...

Ui! só disto por aqui?
Sua desgraçada.
Estás sem reparação por enquanto. Quando deres por ti já vais estar há muito reparada.
Tem fé.

Bookworm disse...

Miúda, vai à luta! Podes estar assim, mas tens que fazer alguma coisa! Primeiro tens que sentir-te bem contigo mesma, recuperar a garra e depois, aí sim, podes avançar. Mas nunca, mas NUNCA! Fiques assim por um homem, tem a tua época de luto e depois segue em frente. Ou vais passar a vida com o coração "quebrado"? E não me digas que não consegues ir em frente, isso é mentira!

Catarina Santi disse...

adoro a frase !

Cat disse...

N. eu sei. Não há cura.