quarta-feira, 5 de outubro de 2011

#15

Hoje cedo, quando sai para o trabalho e ainda era de noite, senti falta.
Senti falta dele. Do que dizia. De como se mexia. Das suas rotinas. De tudo.

Apesar de todo mal que me fez e faz, não lhe sinto ódio. Sinto antes nojo, mas em doses moderadas. Ora agora tenho nojo, ora agora o amo.

Sou parva por o continuar a amar. Mas a verdade é que ele foi e continua a ser por enquanto o amor da minha vida. O príncipe com quem iria viver feliz para sempre era ele. E ele mostrou-se vulgar, cabrão, tinhoso, marca merda, mentiroso...Mentiroso?! Com essa é que não contava.

E ora sinto nojo outra vez.

Deixa de ser estúpida Cat Maria.

3 comentários:

#Sí disse...

Tu não és parva, não senhora, aquilo que estás a sentir é absolutamente normal, se não sentisses falta dele é que seria estranho.
Tenho pena que a tua história tenha acabado desta maneira, acredita.
Tenho a certeza que, algures por aí, estará o homem que te vai fazer feliz para sempre. Força Cat.

B. disse...

Acredita Cat, isso não é ser estúpida. Sei exactamente o que estás a sentir, este tipo de desilusões são trambolhões de todo o tamanho. Deixas mazelas daquelas que nunca se curam e que em dias menos bons nos doiem mais.
Toda a revolta que sentes com ele, enquanto não for resolvida, vai continuar a fazer-te oscilar as emoções.
Agarra-te á certeza que mereces alguém invulgar, verdadeiro e de marca Gucci e que se ele não o era, também não te merece.
Sei que pouco adianta nestes momentos mas se precisares de alguma coisa, é só dizer.
Muita força!
Um grande beijinho *

João disse...

Um forte abraço.