domingo, 25 de setembro de 2011

#2

Eu sou a Cat. Sofro com as inconstantes da vida (em demasia), e acredita que na minha são uma constante.
Devido a muitas situações más tenho certas dúvidas sobre a minha própria pessoa. Sou insegura por natureza e sofro por antecipação. Sou portanto uma desesperada. Desespero por tudo e por nada, o que tem o seu lado positivo e negativo. Negativo porque praticamente me auto-mutilo psicologicamente quando tenho coisas por resolver. Positivo porque vivo a 1000 a hora, e tudo que é vivido assim, fica bem mais interessante.

Até à bem pouco tempo era comprometida. Mas ele chegou à conclusão que não estava preparado para uma vida a dois e foi viver para o outro lado do mundo. Ou na minha versão: deu-me um par deles, arranjou uma desculpa de cócó e foi a vidinha dele. Angustiei. E muito, pois ainda hoje não sei qual das 3 versões que ele me deu, é a verdadeira. (Desconfio que nenhuma!)
Resolvi não desesperar mais com isto. Estava a fazer-me mal demais e não sou assim tão parva para andar por aí a chorar pelos cantos (só dia sim, dia não). Quero acreditar que é tudo acontece por um motivo. Vamos ver se a coisa melhora daqui para a frente.

5 comentários:

S* disse...

Ele era um canalha, não te martirizes. :)

J. disse...

muita força!! agora é seguir em frente de cabeça erguida :)

João disse...

É sempre um risco, fizeste o que o teu coração mandou

Cat disse...

@João: o mal destes riscos é que é sempre a mesma a levar com os pés. Mas sim, sigo sempre o coração. Obrigada pelo comentário

João disse...

Infelizmente são situações que temos que passar nesta vida, uns mais que outros, eu já tive a minha conta.
Força.